Em suas 5 primeiras edições, o Prêmio Territórios mapeou mais de 400 projetos das redes públicas de ensino municipal e estadual em todo o território nacional e, entre eles, premiou 50 projetos até o momento.

Como forma de dar visibilidade e inspirar outras iniciativas, foram realizados minidocumentários sobre cada um dos projetos premiados, compondo um banco inédito de práticas exemplares.

Confira aqui os 50 projetos selecionados pelo Prêmio Territórios de 2016 à 2021 e assista aos minidocumentários produzidos sobre cada ação:
premiada!

Selecionados 2016 Selecionados 2017 Selecionados 2018 Selecionados 2019 Selecionados 2021

SELECIONADOS 2021

Em 2021, ao granhar abrangência nacional, o Prêmio Territórios foi movido pelo entendimento de que as escolas de todo país enfrentaram enormes desafios em decorrência da pandemia da Covid-19. E, nesse sentido, buscou mapear, reconhecer e disseminar experiências pedagógicas que foram desenvolvidas desde a deflagração da pandemia e que buscaram responder aos seus desafios com estratégias consistentes e inovadoras, partindo dos princípios de uma educação integral.

Entre abril e agosto, foram recebidas 155 inscrições oriundas de escolas públicas de 22 estados brasileiros. As propostas foram avaliadas por um júri composto por especialistas nos campos da educação e cultura, incluindo representantes das instituições organizadoras. São eles: Gleyce Heitor, Natame Diniz, Beatriz Goulart, Denise Botelho, Natacha Costa e Marcio Tascheto.

PREMIADOS

Escola Estadual Indígena Capitãozinho Maxakali, Bertópolis (MG)

Escola de Referência em Ensino Médio de Ipojuca, Ipojuca (PE)

Centro de Ensino Cidade Operária II, São Luís (MA)

Escola Estadual Doutor Pompílio Guimarães, Leopoldina (MG)

Centro Educa Mais Professor Ribamar Torres, Pastos Bons (MA)

Escola Municipal de Educação Infantil Borba Gato, São Paulo (SP)

Escola Municipal de Ensino Fundamental Francisco Cândido Xavier, São Leopoldo (RS)

Escola Municipal de Ensino Fundamental Saint-Hilaire, Porto Alegre (RS)

Escola Municipal Educação Infantil e Ensino Fundamental Chapeuzinho Vermelho, Ariquemes (RO)

Escola Técnica Estadual de Caruaru Nelson Barbalho, Caruaru (PE)

MENÇÕES HONROSAS

Pela primeira vez na trajetória do Prêmio Territórios o júri da 5ª edição decidiu por eleger, além das 10 escolas selecionadas, mais 5 escolas, que receberam menção honrosa pelas iniciativas pedagógicas apresentadas. São elas: Centro Integrado de Educação de Jovens e Adultos Perus I - São Paulo (SP), Pré-Escola Municipal Alda Marques - Feira de Santana (BA), Escola Municipal de Ensino Fundamental Ibrahim Nobre - São Paulo (SP), Escola Municipal Tobias Barreto - Rio de Janeiro (RJ) e Escola de Educação Básica Coronel Antônio Lehmkuhl - Águas Mornas (SC)

Centro Integrado de Educação de Jovens e Adultos Perus I

São Paulo (SP)

Em março de 2020, a equipe gestora e o corpo docente do Centro Integrado de Educação de Jovens e Adultos Perus I, São Paulo (SP), ouviu seu território e compreendeu que as demandas sociais haviam se imposto sobre as demandas pedagógicas. Para garantir à comunidade escolar o direito à alimentação, a escola organizou uma arrecadação de fundos para a distribuição de cestas básicas e de vales-compras em um mercado do bairro, visando fomentar a economia local e oferecer aos discentes a possibilidade de complementar as doações com itens de sua escolha. Assim, foi possível manter os vínculos entre escola e estudantes e dar continuidade às ações pedagógicas, além de oferecer também suporte emocional. A ação, chamada de “CIEJA Solidário”, foi  uma das formas encontradas pela escola para materializar o “inédito viável” enunciado por Paulo Freire em Pedagogia do Oprimido.

Pré-Escola Municipal Alda Marques

Feira de Santana (BA)

O “Projeto Natureza Lúdica”, desenvolvido na Pré-Escola Municipal Alda Marques, Feira de Santana (BA), nasceu em 2018, mas sua urgência foi intensificada com a pandemia, que fortaleceu a união entre escola e território. A escola compreende a requalificação da área natural escolar, tema do projeto, como meio de desenvolvimento das múltiplas linguagens, do protagonismo infantil e do apreço à natureza. No processo, foram elaboradas maneiras de escutar as crianças, suas famílias e a comunidade do entorno, que participou de discussões sobre a requalificação da praça e as melhorias da infraestrutura. Com base nas identidades diversas das pessoas que habitam o território, o projeto deixa como legado a estruturação do espaço natural da escola para o desenvolvimento contínuo do currículo voltado ao meio ambiente.

Escola Municipal de Ensino Fundamental Ibrahim Nobre

São Paulo (SP)

Durante a pandemia de covid-19, equipe gestora, estudantes e comunidade da Escola Municipal de Ensino Fundamental Ibrahim Nobre, São Paulo (SP), realizaram um conjunto de ações que deram origem ao projeto “A poética do espaço: literatura, bosque, horta e jardim no território do Ibrahim”. Unindo literatura e agrofloresta, o projeto busca valorizar e recriar não apenas os espaços da escola, mas todo o território escolar. As ações transpuseram a definição de aprendizagem formal, movimentando saberes complementares aos conteúdos curriculares, como a valorização dos espaços públicos, o exercício da cidadania, a vivência da coletividade, o conhecimento do território e o tempo da natureza.

Escola Municipal Tobias Barreto

Rio de Janeiro (RJ)

A partir de experimentações com uma ferramenta de criação de histórias em quadrinhos, a professora Viviane da Escola Municipal Tobias Barreto, Rio de Janeiro (RJ), idealizou o “Projeto Pedagógico Antirracista HQ da Tia Vivi”, disponibilizado no Instagram @hqdatiavivi, onde a professora e sua família são os personagens que, em diálogos domésticos, tratam de temas históricos e atuais sobre as relações raciais no território da escola e no Brasil. Em parceria com a professora Andreza, também da rede municipal do Rio de Janeiro, as tirinhas passaram a ser transformadas em vídeo, com o objetivo de democratizar o acesso e expandir o alcance do material paradidático produzido na escola.

Escola de Educação Básica Coronel Antônio Lehmkuhl

Águas Mornas (SC)

“Mais do que uma hashtag, vidas negras importam” foi o tema da iniciativa pedagógica desenvolvida na Escola de Educação Básica Coronel Antônio Lehmkuhl, em Águas Mornas (SC), onde o 6º ano do ensino fundamental estudou conteúdos sobre as relações raciais no Brasil.

Além de possibilitar um aprofundamento no assunto, as discussões se tornaram espaços de troca de conhecimentos, experiências e relatos de situações de violência vividas ou presenciadas por estudantes. Por meio de um trabalho de escuta, foi possível fazer com que a reflexão sobre o racismo se estendesse também às famílias. A última etapa da iniciativa foi a realização de intervenções artísticas, entendidas como um ato político educacional ao agenciar de forma criativa e autônoma os conhecimentos adquiridos.